Governo de Rondônia
Monday, 18 de October de 2021

ZIKA VÍRUS

Combate ao mosquito Aedes aegypti deve ser intensificado na área portuária de Porto Velho

05 de abril de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

Irana Leite, funcionária da SOPH, participa de ações de conscientização da comunidade

Irana Leite, funcionária da SOPH, participa de ações de conscientização da comunidade

Funcionários da Sociedade de Portos e Hidrovias de Rondônia (Soph) entregam panfletos para comunidade do poligonal portuário em Porto Velho. A estudante do 7º período do curso de Arquitetura e Urbanismo e também estagiária do Porto Público de Porto Velho, Irana Leite de 33 anos, ficou afastada das atividades laborais por cinco dias enquanto recuperava da contaminação do zika vírus.

Ela conta que os sintomas apareceram com intensas dores de cabeça, febre e os olhos ficaram avermelhados. “As manchas na pele e a coceira incomodaram bastante, mas não mais que as dores no corpo e a falta de ar. Moro no bairro Flodoaldo Pontes Pinto e já ouvi que há outros casos de moradores infectados também. Não há outra forma mais eficiente que prevenir, exceto eliminar a possibilidade de proliferação do mosquito Aedes aegypti, principal vetor de transmissão. Se eu quiser ter filhos, devo esperar pelo menos um ano para início da gestação, para evitar a possibilidade de transmitir algum vírus para o feto”, relata Irana.

Segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, no final de Março de 2016, todos os estados brasileiros reportaram a confirmação da circulação da doença em seus territórios. O vírus é responsável pelo surto epidêmico de bebês com microcefalia no Brasil, que já ultrapassa a marca de 900 crianças com má formação do sistema nervoso central, além de outros 4 mil casos que ainda estão aguardando o resultado dos exames.

O coordenador da equipe de combate ao mosquito na Soph, Coronel PM Vanderlei da Costa, assessor institucional do Porto, reforça que as ações de combate ao mosquito estão intensificadas no poligonal portuário. “Semanalmente fazemos uma varredura de toda a área, identificamos reparos pontuais para corrigir e desde o início das nossas atividades em fevereiro deste ano, exterminando possíveis focos de proliferação do mosquito, responsável não só pela transmissão da Zika como também da dengue e chikungunya. A partir da semana que vem, iremos promover novas ações com a comunidade novamente. Se cada um não fizer sua parte, não vamos vencer essas doenças”, alertou Costa.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Rafaela Schuindt
Fotos: Rafaela Schuindt
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Governo, Rondônia, Saúde


Compartilhe