Governo de Rondônia
Monday, 20 de September de 2021

NOVEMBRO AZUL

Governo de Rondônia atua na conscientização dos homens de olho na incidência de câncer de próstata na região Norte

16 de novembro de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

Um a cada 36 homens vai morrer vítima de câncer de próstata no Brasil. Os números são alarmantes e foram divulgados no início deste ano pela Sociedade Brasileira de Oncologia. O governo de Rondônia realiza durante todo o mês de novembro programa de conscientização, informação e diagnóstico da doença em todas as unidades de saúde do estado.

Nas regionais de Saúde Sesau leva informações e treinamentos aos municípios

Nas regionais de Saúde Sesau leva informações e treinamentos aos municípios

Uma ampla programação foi elaborada, e vem sendo desenvolvida pela Gerência de Programas Estratégicos de Saúde (GPES), através da Coordenação Estadual de Atenção Integral à Saúde do Homem.

Pelo calendário da GPES, nesta segunda-feira (16) acontece o Encontro com a Gerência Regional de Saúde de Ji-Paraná para visitas técnicas aos municípios e implantação da Política de Atenção Integral à Saúde do Homem. Na Regional de Ji-Paraná, os treinamentos e palestras acontecem até quarta-feira. Na quinta-feira (19) a equipe técnica da Sesau vai até Cacoal, onde vai abordar a mesa temática com encontro com a Gerencia Regional de Saúde de Cacoal. A programação da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) se estenderá até o dia 29, com a realização do Encontro com a Gerência Regional de Saúde de Vilhena.

Segundo a gerente da GPES, Delcy Mazzarello, o câncer de próstata lidera o ranking dos mais incidentes em todas as regiões do País. Nos Estados da região Norte, os registros apontam 30 casos para cada 100 mil homens, contra 91 no Sul, a região mais afetada, seguida pelo Sudeste (88 casos por 100 mil), Centro-Oeste (63 casos por 100 mil) e Nordeste (47 casos por 100 mil).

Além dos cânceres de pele, próstata, pulmão e mama, segundo o Ministério da Saúde, os mais comuns no Brasil são os de intestino e estômago.

COMO SE PREVENIR

A partir dos 45 anos de idade, os homens devem procurar seus médicos ou um posto de saúde uma vez por ano para realizar os exames de rotina. O toque retal é o teste mais utilizado e eficaz quando aliado ao exame de sangue PSA (antígeno prostático específico), que pode identificar o aumento de uma proteína produzida pela próstata, indício da doença.

Para um diagnóstico final, é necessário analisar parte do tecido da glândula, obtida pela biópsia da próstata. O Governo de Rondônia oferece consultas e os exames, na Policlínica Oswaldo Cruz, em Porto Velho.

O público alvo da população masculina está na faixa etária dos 20 aos 59 anos, considerando a Portaria 1.944/GM de 27 de agosto de 2009, que institui no âmbito do Sistema Único de Saúde, a Política Nacional de Atenção Integral a Saúde do Homem.

O QUE É A DOENÇA

Segundo Delcy Mazzarello, embora o câncer de próstata não apresente sinais em seu estágio inicial, sintomas como dor óssea, dificuldade para urinar, caminhar ou subir escadas e perda do controle da bexiga podem sugerir que a doença encontra-se em estágio mais avançado.

Uma pesquisa realizada pela IPCC (Coalizão Internacional para o Câncer de Próstata, em tradução livre do inglês) apontou, no entanto, que 47% dos homens nessa situação não dão importância aos sintomas e não comunicam o médico, iniciando o tratamento tardiamente e, como consequência, diminuindo as chances de cura.

O levantamento foi realizado com 900 pacientes e 360 cuidadores de 10 países (Alemanha, Reino Unido, França, Espanha, Itália, Holanda, Estados Unidos, Japão, Cingapura e Taiwan). Este câncer é diagnosticado, inicialmente, por meio do exame clínico de toque retal e pela dosagem do PSA (antígeno prostático específico – proteína produzida pelas células da próstata).

“No toque, um dos principais métodos de detecção da doença, alguns homens ficam desconfortáveis. Quando esse tumor é identificado no início, no entanto, o índice de remissão é bastante elevado”, afirmou Diocésio Andrade, diretor Técnico do InORP (Instituto Oncológico de Ribeirão Preto). O médico alerta que os testes devem ser realizados, anualmente, a partir dos 50 anos, quando não há histórico familiar, e a partir dos 45, quando há casos anteriores de parentes.

PREVENÇÃO E COMBATE

O câncer de próstata, glândula do sistema reprodutor masculino que produz e armazena parte do fluido seminal (esperma), é o 2º tipo mais frequente em homens no Brasil – ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Um estilo de vida saudável é a melhor alternativa para a prevenção de diferentes tipos de tumor, assim como o de próstata.

Entre as medidas que ajudam a prevenir o mal estão alimentação equilibrada, rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais, a prática de atividades físicas, manutenção do peso ideal, controle do diabetes mellitus e adesão a hábitos saudáveis, como não beber e fumar.

TRATAMENTO

Quando o exame clínico (toque retal) detecta nódulos e a dosagem do PSA está elevada, podem ser feitos ultrassom e biópsias múltiplas da próstata para confirmar o câncer. Caso o resultado seja positivo, o tratamento adequado varia de acordo com o tamanho e a classificação do tumor. O oncologista pode optar pela prescrição de medicamentos, cirurgia para remoção da próstata, radioterapia ou hormonioterapia.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Zacarias Pena Verde
Fotos: Ítalo Ricardo
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Capacitação, Educação, Governo, Inclusão Social, Rondônia, Saúde


Compartilhe