Governo de Rondônia
Sunday, 26 de September de 2021

ECONOMIA

Rondônia alcança mais de R$ 3 bilhões com exportações no primeiro semestre de 2021; soja lidera vendas internacionais

24 de agosto de 2021 | Governo do Estado de Rondônia

Coordenador da Receita Estadual, Antônio Carlos, detalha os números de exportações

Dados do Governo de Rondônia, divulgados pela Secretaria de Estado de Finanças (Sefin), apontam que o Estado alcançou cerca de R$ 3,1 bilhões em exportações no período de janeiro a junho de 2021, um crescimento de 35,77% frente ao mesmo período do ano passado. Nesse cenário internacional, ao menos 97% do montante exportado favoreceram cinco países: Turquia, China, Espanha, Hong Kong e Países Baixos.

Vários setores mantiveram a  economia rondoniense em alta, entre eles o agronegócio e a mineração. E mesmo no período mais intenso da pandemia do coronavírus, as exportações continuaram positivas.

De acordo com o gestor da Coordenadoria da Receita Estadual (CRE), Antônio Carlos, “na pandemia, as exportações não foram muito afetadas. Na verdade, elas foram muito mais estimuladas nesse período. Rondônia é um Estado produtor de alimentos, então as indústrias e produtores continuaram a mover o motor da economia nesse período”, destacou.

Em detalhes, dos dados divulgados pela Sefin mostram que: de janeiro a junho de 2019, antes da pandemia, as exportações somaram R$ 2,52 bilhões. No mesmo período do ano seguinte, 2020, foram R$ 3,95 bilhões de exportações para o mercado internacional, um aumento de 56,77% comparado a 2019. Já entre janeiro e junho de 2021, Rondônia a venda internacional de produtos se manteve em alta – R$ 3,1 bilhões –, sendo 35,77% maior que o ano passado.

Entre os municípios que mais exportaram no Estado, Vilhena ocupa o primeiro lugar com mais de R$ 1,54 bilhão. A capital, Porto Velho, vem em seguida com R$ 829 milhões em exportações. Rolim de Moura é o terceiro da lista, com R$ 778 milhões. Nestes municípios, a soja foi um dos produtos mais exportados com cerca de R$ 2,8 bilhões de exportações.

Antônio Carlos ainda destacou como a exportação tem ajudado os produtores do Estado, “permitindo a aferição de renda. Nesse cenário do mercado internacional, o produtor tem uma fonte de renda a mais, em meio às dificuldades do consumo no comércio local. Mas, mesmo durante a pandemia, o consumo interno teve aumento de 45% no setor de alimentos”.

Os 15 produtos mais exportados no período de janeiro a junho deste ano são:

  1. Soja;
  2. Carnes desossadas de bovino congeladas;
  3. Carnes desossadas de bovino frescas
  4. Carnes desossadas de bovino refrigeradas;
  5. Madeiras perfiladas;
  6. Estanho em forma bruta;
  7. Algodão;
  8. Miudezas comestíveis de bovino;
  9. Bexigas e estômagos, de animais;
  10. Minérios de nióbio, tântalo ou vanádio;
  11. Outras madeiras tropicais serrada ou fendida;
  12. Milho em grão, exceto para semeadura;
  13. Madeira de ipê;
  14. Outras substâncias de animais, para preparação de produtos farmacêuticos;
  15. Armações e cabos, de ferramentas, de escovas e de vassouras, de madeira.

Segundo o coordenador da CRE, o Governo de Rondônia está empenhado em garantir a melhoria de todos os setores comerciais que são beneficiados pelas exportações, e que mais produtores locais possam desenvolver a economia do Estado, tornando-se referência na Amazônia.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: João Antônio Alves
Fotos: Frank Néry
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Agricultura, Agropecuária, Economia, Empresas, Governo, Rondônia


Compartilhe