Governo de Rondônia
Saturday, 25 de September de 2021

PALESTRAS

DER foca potencialidades individuais visando o trabalho coletivo com ênfase no resultado

02 de maio de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

Diretor-geral Caetano afirma o Governo precisa entregar o produto final: a obra concluída.

Diretor-geral Caetano afirma o Governo precisa entregar o produto final: a obra concluída.

Gastar menos, ser eficiente, concluir e entregar à população as obras iniciadas pelo Governo estadual através do Departamento de Estradas de Rodagem e Transportes (DER). Para que essa sequencia de procedimentos seja seguida à risca, o DER focará nas potencialidades individuais de cada servidor, valorizando o trabalho coletivo com ênfase no resultado. Esse entendimento foi tema de palestra do diretor-geral do DER, Lioberto Caetano, na abertura da reunião de trabalho com o quadro de engenheiros, residentes, coordenadores e chefes de setores do Departamento em todo o Estado. A reunião ocorreu hoje (30-04), no auditório da faculdade Ubra, em Ji-Paraná.

Para Lioberto Caetano, o governador Confúcio Moura (PMDB) desafiou os problemas de Rondônia, e o DER é, segundo o diretor, a espinha dorsal do Estado, com o maior percentual de obras em execução. “Nosso produto final é a entrega das obras e vamos trabalhar para que as conclusões ocorram dentro do prazo”, detalhou Caetano, acrescentando que é necessária a adaptação no ambiente de trabalho para obter os resultados esperados.

O coordenador de obras do DER, Joaquim de Sousa, pediu maior rigidez dos engenheiros do órgão na fiscalização das obras. Enfatizou que eles (os engenheiros) têm nas mãos a caneta, elemento que o coordenador considera uma arma contra maus prestadores de serviço. “Sejam exigentes para evitar implicações para si e para a diretoria, desta forma evitando prejuízos à população”, atentou Joaquim.

O procurador Luciano José da Silva tratou dos conceitos relacionados à atuação dos servidores e implicações dessa atuação. Discorreu sobre a aplicação do suprimento de fundo e a prevaricação (crime cometido por funcionário público quando, indevidamente, este retarda ou deixa de praticar ato de ofício, ou pratica-o contra disposição legal expressa, visando satisfazer interesse pessoal.

Mayara Gomes, gerente do setor de finanças, prestou esclarecimentos em geral sobre as questões financeiras do órgão, em torno de seus procedimentos, incluindo o pagamento de diárias. A gerente do Recursos Humanos (RH), Carla Ito, palestrou acerca de nomeações, data limite para a entrega de folha de ponto e processos de pedido de diárias. Afirmou que o setor analisará o desempenho de todos os servidores e a possibilidade legal recompensa àqueles que produzem acima da média.

Corregedora do Departamento, Cleo Souza, falou sobre improbidade administrativa e fez alerta aos servidores. Disse que a improbidade administrativa é um dos crimes mais comuns na administração pública, na maioria das vezes cometido por falta de conhecimento dos servidores. Porém, alertou a corregedora, a falta de conhecimento não livre os servidores de responder por seus atos. Como exemplo Cleo Souza citou a limpeza de pátios de igrejas e associações. “Esses serviços precisam de convênio, além de atender uma série de quesitos exigidos por lei”, afirmou.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Nilson Nascimento
Fotos: Nilson Nascimento
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Governo, Infraestrutura, Obras, Rondônia


Compartilhe