Governo de Rondônia
Friday, 24 de September de 2021

Pós-enchentes

Caerd disponibiliza água tratada para população atingida pela enchente

21 de maio de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

DSC05008Entre tantos problemas que a enchente do rio Madeira trouxe para Porto Velho, a possível contaminação do lençol freático – reservatório de água subterrânea decorrente da infiltração da água da chuva no solo – é, sem dúvida, uma das maiores preocupações. Grande parte da população da Capital, principalmente a ribeirinha e da zona rural, utiliza água de poços amazonas e artesianos. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema) afirma que essa água está comprometida, no entanto um estudo detalhado da qualidade do lençol freático está em andamento no Serviço Geológico do Brasil.

Enquanto isso, para evitar maiores índices de doenças relacionadas ao uso de água contaminada, a Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd), através de parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), disponibiliza água tratada para moradores do distrito de Jacy-Paraná, um dos mais afetados pela enchente. A cada dois dias um caminhão pipa coleta da Unidade Operacional, localizada no distrito de Nova Mutum, 80 mil litros de água para 100 residências contempladas com caixas d’água doadas pela Semusa. Ação que teve início em abril e segue por tempo indeterminado.

A água disponibilizada em Jacy-Paraná, assim como nos demais municípios atendidos pela Caerd, segue os padrões de qualidade para consumo humano exigidos pelo Ministério da Saúde, de forma a garantir que os seus componentes não causem nenhum risco à saúde pública. Antes de iniciar o trabalho, o caminhão pipa passou por um processo de limpeza e desinfecção e o motorista orientado a não transportar nenhum outro produto para não comprometer a qualidade da água.

Abrigo Único

A Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd) participou ativamente das demandas da Sala de Situação durante o período crítico da enchente. Dentre as contribuições, destaque para a reativação do poço existente no Parque dos Tanques para abastecimento das 126 famílias alojadas no Abrigo Único. Para levar a água do poço até o conjunto de reservatórios foi necessária a construção de 540 metros de rede, instalação de um conjunto de motobomba e de um clorador. Paralelo a isso, a Caerd realiza coletas e análises da água do poço para garantir qualidade do produto distribuído.

Purificação da água

Agua-54_

Em casos de enchente, o Ministério da Saúde orienta que cuidar da qualidade da água a ser consumida – especialmente aquela destinada para ingestão, preparo de alimentos e higiene – é uma das medidas mais importantes a ser adotada pelos atingidos pela cheia. Como forma de prevenção, a Caerd aumentou a quantidade de cloro adicionado na água das Estações de Tratamento. No entanto, existem métodos caseiros de purificação da água que podem ser realizados com recursos simples, que deixam a água livre de bactérias, vírus e parasitas que podem causar doenças.

Filtrar a água é a primeira medida eficaz para torná-la apropriada ao consumo, seguida pelo processo de fervura, caso não seja possível a água precisa ser tratada com hipoclorito de sódio (2,5%). Coloque duas gotas do produto em um recipiente com um litro de água e deixe descansar por 15 minutos. Depois disso, a água está pronta para o consumo.

Água Hipoclorito de sódio
(2,5%)
Modo de higienização
1 litro 2 gotas • Para cada litro de água para consumo humano, adicionar duas gotas de hipoclorito de sódio (2,5%);
• Deixar repousar por 15 minutos.
20 litros 1 colher de chá
200 litros 1 colher de sopa
1.000 litros 2 copinhos de café
(descartável)

Doenças

Ainda segundo o Ministério da Saúde, durante as enchentes e após o recuo das águas, a população deve ficar alerta para o risco de contaminação e proliferação de doenças como a leptospirose, hepatite A, doenças diarréicas e respiratórias, dengue, febre tifóide e cólera. A maioria ocorre devido ao consumo de água contaminada ou ao seu contato com a pele.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Luciane Gonçalves - Assessoria Caerd
Fotos: Arquivo Decom
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Governo, Rondônia, Saneamento, Saúde, Sociedade


Compartilhe