Governo de Rondônia
Saturday, 25 de September de 2021

TAEKWONDO

Medalhistas do Colégio Tiradentes VII buscam mais pontos para colocar Rondônia no ranking nacional

02 de abril de 2019 | Governo do Estado de Rondônia

Duas vezes por semana, no tatame do Colégio Tiradentes VII, mestre Sandra treina alunos e ensina cuidados com o corpo

 

Sa Bo Nim Kiunhê!

O projeto se chama Taekwondo na Escola e o treinamento começa com a saudação do jovem aluno Thiago Pantoja à mestre Sandra Soares, que chega ao tatame do colégio, antiga Escola Manaus, no bairro Mato Grosso. Alunos mais novos preenchem fichas, entregam ao mestre em taekwondo, 2º tenente bombeiro Marcelo Ferreira da Silva. Em maio do ano passado ele foi campeão do torneio promovido pela Unopar (Universidade Norte do Paraná).

Praticado por 50 alunos do Colégio Tiradentes VII, o taekwondo é uma forte ação social apoiada pelos pais e pela direção do estabelecimento, no sentido de mudar a vida de crianças e jovens que ali comparecem para aulas e treinamento às terças e quintas-feiras.

A professora Sandra começa a contagem até dez, eles correm, param e fazem abdominais – 30 segundos de prancha. A professora ordena: “Vamos ao aquecimento, nosso corpo exige cuidados”.

Thiago, 15 anos, o caçula de sete irmãos da família, estuda o 1º ano do Ensino Médio. Apesar da desenvoltura, interessou-se pelo taekwondo um ano atrás e dali, conforme conta, “melhorou tudo” na vida dele. “Eu aprendi com o tenente Marcelo a respeitar mais as pessoas, principalmente idosas, me disciplinei e aprendi o que começo a saber agora”, diz com modéstia.

Ele desenvolveu-se tão bem que já puxa o treino e revisa bases, chutes e poomse, uma forma em que o praticante cumpre determinadas linhas de movimento sucessivas vezes, contra adversários imaginários, usando diversas técnicas de pernas e braços. O poomse dá flexibilidade ao corpo e controle de força.

Gabrielly Pereira, 12, caçula de quatro irmãos, moradora no bairro Tucumanzal, também iniciou em 2018 e já conquistou diversas medalhas. “Eu melhorei muito a motorização, mas o melhor de mim aconteceu na disciplina, no aprendizado e no respeito”, comenta.

Os alunos erguem os dois pés, um de cada vez, e da mesma forma, em seguida, os elevam à altura do tórax, para trás, à frente e de lado. Sucedem-se movimentos transversais. Os meninos erguem joelhos e pernas, chutam e respiram. Na sequência, fazem dobradura no joelho. Alternam-se em postura de luta.

Na ponta dos pés outra vez, eles dão os dois “passos do caranguejo” e ouvem a orientação que estimula a força na panturrilha. Pequenos saltos lhes dão agilidade. A professora conta até dez e fala em voz alta: “O primeiro princípio do taekwondo é o equilíbrio”. E demonstra o triângulo isósceles, frontal, a base da defesa na qual o lutador sai sem ter o joelho quebrado em consequência do golpe.

Sandra alerta: “O equilibrado não cai, e se o desequilibrado cair perde um ponto. Em três minutos se decide uma luta, por isso o equilíbrio é fundamental”, ensina.

Eles fazem todos os movimentos de ataque e defesa. As bases corretas formam movimentos corretos, fortes, equilibrados, ágeis e firmes. A professora pronuncia palavras com as quais eles se familiarizam desde o primeiro dia: choy = vontade; naranissogui = base mossogui = pés juntos; djun tchcunssogui = pés afastados. Orun = lado direito, uen = lado esquerdo.

Quase todas as bases são acompanhadas pelo tronco reto, o ombro não deve estar tenso, mas sim, ter o máximo de leveza. E assim, ela ensina que eles devem aproveitar a liberdade das juntas do joelho para melhorar o rendimento da velocidade, firmeza e equilíbrio. Esta última palavra é repetida algumas vezes.

A base mais aberta proporciona maior firmeza no chão e a aplicação de uma técnica é mais potente; porém, a mudança de base é mais lenta. Com uma base mais fechada, se tem menos equilíbrio e a aplicação de uma técnica não é tão potente; mas, a mudança de base é mais rápida.

O comando do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia vai adquirir material complementar para os alunos, especialmente coletes e capacetes de proteção e equipamentos para treinos.

 

Mestre Mariano, em pé, à esquerda, com alunos que vêm conquistando diversas medalhas, a cada competição em Porto Velho

 

MEETING JÚNIOR E FESTIVAL DA CRIANÇA

No ano passado, a equipe ficou em terceiro lugar  no ranking da Federação de Taekwondo de Rondônia (FTR), com pontuação para o ranking. Para competir, usa a marca Academia Dragon do Colégio Tiradentes VII.

O ranking dos estados é informado à Federação Internacional e o Comitê Olímpico Brasileiro organiza todos os eventos. “Assim, tudo começa no ranking estadual, é dele que teremos visibilidade no cenário nacional”, acrescenta a mestre.

Os próximos compromissos dos alunos do Colégio VII: de 20 a 21 de abril, o XVII Meeting Júnior, no Ginásio de Esportes Cláudio Coutinho, e de 25 a 26 de maio, no Festival da Criança, no Ginásio Eduardo Lima e Silva, no bairro Jardim Eldorado. No mais recente, a participação feminina  na Liga Rondoniense destacou-se foi total, com a Copa Mulher, dia 16.

A próxima competição vale 20 pontos que se multiplicam por 10, apresentando resultado semelhante ao ranking do Campeonato Brasileiro, cujo limiar mais alto é 20,0.

TRAJETÓRIA DA MESTRE

Mestre Sandra Soares é paulista e passou por outros esportes antes de permanecer neste que lhe dá sucessivas alegrias. Começou aos 15 anos e firmou-se em 1983 numa academia no alto da Galeria Lacerda, na Avenida 7 de Setembro, em Porto Velho.

Seu grande orientador e incentivador foi o advogado Edilson Mougenot, que aqui chegou com a medalha do Panamericano e atualmente é procurador em São Paulo. “Eu não pagava academia, esse incentivo proporcionou também o aprendizado de centenas de pessoas”, ela conta.

Sandra estima em mais de mil os que começaram com ela nos anos 1980, alguns dos quais ficaram. Mougenot foi sucedido por Aroldo Kobayashi e atualmente por Anderson Teramoto, mestres Martins e Mestre Adilson.

 

“A população nos apoiou, foi muito importante, e a escola, que todos sabem, teve muitos problemas no passado, hoje progride e vence dificuldades” – mestre Sandra Silva

 

Para Sandra, a pontuação obtida a cada competição leva o presidente da FTR, Robson Oliveira a animar-se ainda mais. “Ele nos estimula sempre para ocuparmos o nosso lugar no cenário deste esporte, e assim, elevarmos projetarmos Porto Velho e Rondônia”.

Tudo começou em Pimenta Bueno, a 521 quilômetros de Porto Velho, quando o tenente Marcelo Ferreira ainda tinha a patente de terceiro sargento.

“Dezessete anos atrás, em 19 de março de 2002, com o apoio do pessoal do Juizado da Infância e Juventude, estreamos o projeto Redefinindo destinos na quadra esportiva da Escola Estadual Orlando Bueno da Silva, e conquistamos troféu no Joer 2010″ conta o tenente referindo-se à atuação da recém-formada equipe nos Jogos Estudantis de Rondônia.

Essa origem ficou tão presente na memória dele que incentivou o filho, professor de educação física Ricardo Miler, a introduzir o projeto Taekwondo na Escola na cidade onde iniciou a prática dessa arte aos jovens de Pimenta Bueno.

“O NORTE DO CARÁTER E DA PERSONALIDADE”

Feliz com os resultados até então obtidos, a diretora do Colégio VII, tenente Lucelma Pereira Cordeiro, enaltece os feitos do taekwondo: “Além do preparo físico, projetos de artes marciais proporciona aos alunos o preparo mental para a vida toda, porque o equilíbrio entre mente e corpo dá um norte na formação do caráter e da personalidade deles”.

Eles destaca o desempenho da equipe no ano passado, em diversas competições, e o considera gratificante: “Esperamos continuar oferecendo esse projeto e outros que já estão em construção”.

Na Copa Mulher, disputada na quadra coberta do SESC, dia 16 de março, 12 atletas sob a orientação da mestre Sandra, do mestre Marcelo da orientadora Denice Souza, o Colégio VII obtiveram a seguinte classificação nas modalidades de poomse (formas), kiopá (quebramento) e kiorugui (luta):

Sara Geovana da Silva (infantil), 2º lugar no poomse, 2º no kiopá e 2º no kiorugui;
Ana Rebekah de Oliveira (infantil), 1º no poomse, 1º no kiopá e 1º no kiorugui;
Emilly Rodrigues (infantil), 1º no poomse e 3º no kiopá;
Dayohana Paixão (cadete), 1º lugar no poomse e 2º no kiopá;
Gabrielle Pereira (cadete), 1º no poomse;
Kailany Uchôa (júnior), 1º no poomse;
Ana Clara (júnior), 1º lugar no poomse e 3º no kiopá;
Adriele Santana (júnior),1º lugar no kiorugui e 2º no kiopá;
Maria Luíza (adulto), 1º no poomse e 2º no kiopá;
Michelly Barros (adulto), 1º lugar no poomse;
mestra Sandra Soares (Master 3), 1º lugar no poomse e 3º no kiopá.

CONHEÇA O VOCABULÁRIO DO TAEKWONDO

KURYONG (COMANDO)
Tchario Sentido
Son-So Juramento
Murup Kuro Ajoelhar-se
Iro So Levantar-se
Tio gá Correr
Kalhô Separar
An Joa Sentar
Ki Rab Grito Forte
Ke Shi Contagem
Retchiô Debandar, abrir
Shijak Começar
Shi O Descansar
Ball Ba kuo Trocar de Perna
Jua-u-Hyang-u Ficar frente a frente
Kuman Parar
Tirô Torá Meia volta
Jumbi Preparar
Parô Voltar – parar
Ke sok Continuar
Ti (FAIXA)
Si Sha Ti Exame de Faixa
INSA (CUPRIMENTO)
Kiunhê Saudação
Kuki e Derraio Kiunhê Saudação às Bandeiras
Do-Djan Kiunhê Saudação à Sala de Aula
Kwan Ja Nim Kiunhê Saudação ao Grão Mestre
Sa Bo Nim Kiunhê Saudação ao Mestre
Kio Sa Nim Kiunhê Saudação ao Instrutor
Jo Kio Nim Kiunhe Saudação ao Assistente
Anhión Rasseio Tudo bem
Gansa Ram Obrigado
Sim ou Ok
FAIXA PRETA
Jo Kio Nim Ajudante
Kio Sa Nim Professor
Sa Bo Nim Mestre
Kwan Ja Nim Grão-Mestre

Leia mais:

 Colégio Tiradentes VII da Polícia Militar resgata autoestima da antiga Escola Manaus e reforma salas para ampliar matrículas em Porto Velho


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Frank Néry e CBM-RO
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Rondônia


Compartilhe