Governo de Rondônia
Thursday, 23 de September de 2021

Vacinação

Idaron mantém parceria e fará vacinação na Bolívia

11 de junho de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

IMG_9392 marcelo henrique

Presidente da Agência Idaron Marcelo Henrique na reunião Binacional

Durante reunião realizada em Guajará-Mirim na última semana entre a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de  Rondônia (Idaron) e o  Servicio Nacional de Sanidad Agropecuaria e Inocuidad Alimentaria (Senasag) , ficou acertada a manutenção da vacinação acompanhada que a Idaron realiza naquela país numa faixa de 50 Km, aumentando a faixa sanitária entre os dois países. Este será o 27º Ciclo de vacinação contra a febre aftosa na Bolívia.

Esta parceria acontece desde 2001, onde a Agência Idaron  contribui com a vacinação contra febre aftosa no país vizinho em conjunto com o Senasag.

Segundo o coordenador do Programa Estadual de Prevenção de Febre Aftosa, Márcio Petró, esta parceria é fundamental “para garantirmos que os animais desta região que trabalhamos conjuntamente sejam efetivamente imunizados”. Isto se deve às dificuldades de acesso e fragilidade de estrutura do Senasag.

IMG_9429

Coordenador do Programa Estadual de Prevenção de Febre Aftosa, Márcio Petró

A expectativa é que sejam vacinadas aproximadamente 35 mil cabeças de gado na Bolívia, com início previsto na próxima semana. Segundo o coordenador, esta parceria não tem prazo para terminar pois “entendemos que precisamos cada vez mais estarmos juntos ao Senasag para monitorar e complementar as ações quando eles não tiverem condições de fazê-lo”.

Assim como no último Ciclo, ocorrido em dezembro, a vacinação de bovinos deverá ocorrer nas propriedades rurais localizadas até 50 quilômetros da fronteira e com menos de 500 cabeças.

O presidente da Agência Idaron, Marcelo Henrique Borges, a reunião sempre é realizada com espírito de cooperação. ” Estamos contribuindo com esta vacinação da mesma forma que nas outras. Nós queremos que, assim como Rondônia, a Bolívia fique livre da febre aftosa”.

Rondônia está livre da febre aftosa com vacinação desde 1999, mas só foi reconhecido internacionalmente pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) em 2003. Desde então o estado é um dos maiores exportadores de carne do país.

 Mortandade

Com a cheia dos rios Beni e Madre de Diós, o rebanho boliviano sofreu uma mortandade animal muito grande. Segundo estimativas preliminares das autoridades daquele país dão conta que em torno de 500 mil cabeças de gado foram mortas. Mas diante das dificuldades ainda existente de acesso em algumas regiões, somente será possível quantificar com maior precisão na etapa de vacinação de outubro.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Geovani Berno e Elaine Barbosa
Fotos: Marcos Freire
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Agropecuária, Rondônia


Compartilhe