Governo de Rondônia
Saturday, 25 de September de 2021

SOLIDARIEDADE

Estoque de sangue sofre nova baixa e Fhemeron convoca antigos e novos doadores

18 de setembro de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

Fhemeron_Lídia Cristina Tavares_Estudante_Doacão de Sangue_18.09.15_Foto_Daiane Mendonça (8)

Lídia Cristina: a primeira de uma série de doações começou nesta sexta-feira

A estudante Lídia Cristina Tavares dos Santos, 19 anos, tem o semblante tranquilo. Às 9h30 da manhã desta sexta-feira (18), ela foi doar sangue pela primeira vez. Só saberá o seu tipo sanguíneo dentro de um mês.

O veterano doador, Dilson Abreu, advogado, 50, está feliz por retornar à cadeira, seis meses depois de se submeter a duas cirurgias de catarata.

Nessa quinta-feira restavam nas geladeiras apenas 50 bolsas do sangue O+, o mais usado. Entre junho e julho, o número de bolsas não passou de 1,8 mil. Em agosto caiu para 1,2 mil, 600 a menos, causando a diminuição de cirurgias. Assim, a Fundação de Hematologia e Hemoterapia (Fhemeron) começou mais uma campanha para trazer de volta antigos doadores.

As pessoas podem doar neste sábado, das 8h ao meio-dia. Ou comparecerem a partir de segunda-feira, das 7h15 às 18h.

“Quem mais necessita de sangue são pessoas hospitalizadas, com fraturas, leucemia e outras doenças. Diariamente, tem alguém com leucemia (geralmente, pacientes denominados onco-hematológicos do Hospital Barretinho)”, disse a assistente social, Maria Luiza Pereira da Silva, responsável pela captação de doadores.

Pacientes de sessões de quimioterapia e radioterapia geralmente sofrem queda de plaquetas durante o tratamento. “Por esse e outros motivos, apelamos aos doadores para que voltem a cada três meses; o sangue não pode ser comprado, porém, doado, e sempre é hora de despertar a solidariedade nas pessoas”, assinalou.

Porto Velho precisa de pelo menos 100 doadores, por dia, para abastecer os 23 hospitais públicos e privados, unidades de terapia intensiva, maternidades e grandes emergências.

APELO EM REDE

A redução do estoque no banco de sangue motivou mais uma mobilização da Fhemeron. Antes das 10h desta sexta-feira, a Pastoral da Saúde havia transmitido mil SMS para telefones celulares de doadores, convocando-os para o esperado retorno.

Fhemeron_Dilson Abreu_Assessor Jurídico da Fhemeron_Doacão de Sangue_18.09.15_Foto_Daiane Mendonça (3)

Dilson Abreu é doador veterano

A Fhemeron também procurou servidores do Tribunal de Justiça e no dia 3 de outubro coletará sangue na Paróquia Nossa Senhora do Amparo, no bairro Nova Porto Velho. Anteriormente, trabalhando com essa Pastoral, obteve êxito na Paróquia de São Cristóvão, no bairro com o mesmo nome, Instituto Educacional Somos Brasileiros (Iesb) e igrejas evangélicas.

Dilson Abreu, maranhense, dá exemplo: ele é assessor jurídico da Fhemeron e se acostumou a participar de campanhas solidárias em São Luís (MA), onde serviu o Exército no 24º Batalhão de Caçadores. Seu sangue é O+. Formou-se em direito em 2000, em Porto Velho, iniciando a doação em 2012. “Parei só quando operei as vistas”, contou.

“Esta é a primeira de uma série”, comentou Lídia Cristina, aluna do 3º ano da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Daniel Neri.

Lídia diz que gosta de história, mas pretende se formar em administração. Moradora do bairro JK, na zona Leste da Capital, ela conseguiu o segundo emprego numa caldeiraria na BR-364, e decidiu ir espontaneamente à Fhemeron. Dos seis irmãos (quatro homens e duas mulheres, um já doou.

Na sala iluminada veem-se mais jovens nas cadeiras. Nos corredores, três pessoas aguardam a vez e outras ganham o lanche no refeitório. O dia parece bom para o reinício da campanha da Fhemeron. Pelo telefone, a assistente social, Maria Luíza, dá explicações e conversa com diretores.

NO CELULAR

Este é o teor do apelo feito em mensagens de celular: A equipe da Fhemeron e Pastoral da Saúde agradece e convida para renovar seu gesto de amor ao próximo. Doe sangue, estamos esperando”.

Para ser doadora, a pessoa deve ter idade entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 50 quilos e levar um documento de identificação com foto. Menores de 18 anos também podem doar, desde que acompanhados dos pais ou com documento de identificação oficial, com autorização formal.

Não é necessário estar em jejum. O candidato deve evitar alimentos gordurosos nas 4h que antecedem a doação e as bebidas alcoólicas nas 12h.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Daiane Mendonça
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Água, Assistência Social, Governo, Previdência, Saúde, Segurança, Serviço, Servidores, Sociedade, Solidariedade


Compartilhe