Governo de Rondônia
Monday, 20 de September de 2021

AGRONEGÓCIO

Banco do Brasil aposta no sucesso da Rondônia Rural Show e antecipa recebimento de propostas

13 de maio de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

A Superintendência do Banco do Brasil, em Rondônia, decidiu antecipar o recebimento das propostas de financiamentos, nas 50 agências dos municípios, para agilizar a liberação de créditos durante a 4ª Feira de Agronegócios Rondônia Rural Show. A feira acontece de 27 a 30 de maio, no parque de exposição Hermínio Victorelli, em Ji-Paraná.

Edson Lemos, superintendente regional do Banco do Brasil

Edson Lemos, superintendente regional do Banco do Brasil

Todas as propostas de financiamentos entregues antes e durante a realização do evento serão analisadas pelo Banco. Segundo o superintendente regional substituto, Edson Lemos, essa é outra forma de divulgar o principal circuito do agronegócio da região Norte.

Desde o final de abril, a antecipação do recebimento das propostas, acompanhadas dos projetos técnicos de viabilidade financeira, possibilitará aos vários empreendedores assinarem os contratos de financiamento durante a Feira.

O banco aparece como um dos recordistas na aplicação de recursos no agronegócio rondoniense e participa do evento desde a primeira edição. Lemos disse que o Banco do Brasil financiou R$ 375 milhões, em 2014, com juros abaixo da média dos praticados no mercado financeiro, e a expectativa é das melhores para 2015.

O gerente de Mercado de Agronegócios e Governo do BB, Alan Cláudio da Silva, explicou que os empreendedores precisam ficar atentos para a importância do encaminhamento do projeto técnico e de viabilidade financeira junto com a proposta de financiamento. “ Os projetos deverão receber orientação dos escritórios da Emater e outras entidades credenciadas. Isso dará maior agilidade na análise e liberação dos financiamentos”, disse.

AGRICULTURA FAMILIAR

Alan Silva

Alan Cláudio da Silva, gerente de Mercado de Agronegócios e Governo do BB

Alan Silva ressaltou que o Banco oferece linhas de créditos para empreendedores de vários segmentos. O financiamento de custeio para o agricultor familiar, por intermédio do Pronaf, é um dos juros mais baratos e varia de 1% a 3,5%, dependendo do valor solicitado, com prazo de um ano para pagamento de despesas normais de produção dentro da propriedade.

O pequeno produtor familiar, enquadrado no Programa da Agricultura Familiar – Pronaf Mais Alimentos -, poderá ainda financiar máquina, equipamentos, tratores e implementos agrícolas, com, juros de apenas 2% ao ano pelo prazo de 10 anos, com 3 anos de carência.

A produção da pecuária, com linha de financiamento próprio do Banco a produtores não enquadrados no Pronaf, poderá financiar projetos de acordo com o perfil do cliente, a partir de 16,79% pelo prazo de um ano.

O cultivo de soja, de acordo com o perfil do cliente, a taxa é de 9,5%, com um ano para pagamento.

Já os projetos de infraestrutura rural, inovação tecnológica, ordenhas e geradores de energia podem ser financiados pelo Programa de Inovação Tecnológica (Inovagro), com juros de 4% ao ano, prazo de pagamento em 10 anos, com 3 anos de carência.

BNDES

O médio produto rural dispõe de linha de crédito do BNDES Pronamp para financiamento de máquinas, equipamentos, tratores e implementos agrícolas, infraestrutura, cerca, barracão, matrizes leiteira e matrizes de corte, com juros de 4,5% ao ano e prazos de investimento fixo de 8 anos, animais e máquinas com 6 anos, e com 3 anos de carência.

Há créditos para financiamento de tratores

Há linha de crédito para financiamento de trator

Pelo Finame Rural PSI, dentro do Programa de Sustentabilidade do Investimento, o empreendedor poderá financiar máquinas e equipamentos novos, com juros de 7% ao ano e prazo de 8 anos para pagar.

A modernização da frota rural poderá ser financiada pelo Finame Maderfrota. Com juros de 7,5% ao ano, o investidor poderá adquirir máquinas e equipamentos novos e usados. Os bens novos com prazo de 8 anos para pagar e os usados, 4 anos.

BAIXO CARBONO

O BNDES possui linha de crédito específica para a chamada Agricultura de Baixo Carbono (ABC). O produtor pode financiar em 10 anos, com 3 anos de carência, projetos de infraestrutura rural, recuperação de pastagens e plantio de florestas.

O produtor desse segmento poderá pagar os financiamentos em 10 anos, com 3 anos de carência; o plantio de floresta em 12 anos, com 3 anos de carência. Já os projetos para aquisição de animais, máquinas e tratores somente terão 40% financiados.

Os projetos de infraestrutura rural, recuperação de pastagens, plantio de florestas financiados com recursos da caderneta de poupança terão 10 anos de prazo para pagamento, com 3 anos de carência. O plantio de florestas, 12 anos com 3 anos de carência, e juros de 4,5% ao ano. O programa Agricultura de Baixo Carbono financiará apenas 40% do montante para compra de animais, máquinas e tratores.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Abdoral Cardoso
Fotos: Ésio Mendes
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Agricultura, Agropecuária, Economia, Infraestrutura, Meio Ambiente, Piscicultura, Rondônia, Tecnologia


Compartilhe