Governo de Rondônia
Monday, 27 de September de 2021

REINSERÇÃO

Reeducandos são batizados na Penitenciária Estadual Aruana

23 de setembro de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

Reeducandos são batizados na Penitenciária Aruana

Pelo menos 18 reeducandos foram batizados na Penitenciária Aruana, domingo

O projeto “Paulo e Silas” do Núcleo de Assistência Religiosa (NAR) da Secretaria de Estado de Justiça (Sejus) realizou o “Batismo nas Águas”, no último domingo (20), na Penitenciária Estadual Aruana, em Porto Velho. Dezoito reeducandos decidiram firmar uma aliança com Deus, após serem evangelizados com o projeto.

O apoio com evangelização aos reeducandos da Aruana iniciou em dezembro de 2014 e no início deste ano o núcleo ofereceu o seminário “Encontro com Deus”, onde cerca de 70% dos apenados participaram. O batismo, resultado do seminário, somado às visitas das equioes de igrejas, que são cooperadoras do trabalho de evangelização,  recebeu o apoio da Assembleia de Deus e da Igreja Batista do Porto.

É previsto pela lei de execuções penais que todo reeducando dentro das unidades prisionais tem direito a ser evangelizado e praticar sua religião. Na Capital, as visitas das igrejas acontecem às quintas, sábados e domingos. Já o “Encontro com Deus” é realizado uma vez por ano em cada unidade.

O projeto “Paulo e Silas”, da Gerência de Reinserção Social, iniciou em 2010 e envolve eventos, como casamento coletivo, batismos, seminários e encontro com Deus, entre outros, para incentivar a mudança do reeducando dentro das unidades.“Alcançamos êxito nesse batismo e esperamos que quando saírem de lá, não voltem para o mundo do crime”, declarou Núbia Camacho, chefe do Núcleo de Assistência Religiosa.

Núcleo de Assistência Religiosa da Sejus contou com apoio da Assembleia de Deus e Igreja Batista do Porto para a realização do Batismo nas Águas

Núcleo de Assistência Religiosa da Sejus contou com apoio da Assembleia de Deus e Igreja Batista do Porto

Núbia explicou que a maioria dos apenados tem interesse em participar das reuniões de evangelização e receber a palavra de Deus. “Primeiro há a conversão do reeducando dentro da unidade, ele reconhece que necessita de Deus e ele mesmo pede para ser batizado, pois deseja verdadeiramente firmar uma aliança com Deus na vida dele a partir daquele batismo, dentro disso é feita uma lista de quem deseja se batizar e um estudo para que eles tenham plena convicção daquilo que querem”, citou.

As direções das unidades trabalham em parceria com o projeto, que independente da religião, busca a mudança de caráter e mente, pois muitos reeducandos vivem com dificuldades em se relacionar e se verem como pessoas amadas, devido à rejeição da sociedade e da própria família, por causa dos crimes praticados por eles.

“A evangelização é resgatar as pessoas delas mesmas. Temos que aproveitar enquanto ele está em uma situação difícil na vida. Não adianta darmos cursos profissionalizantes, se a mente do reeducando não for transformada por uma decisão de mudança, que tem que partir do ser humano”, argumentou.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Gaia Quiquiô
Fotos: Núcleo de Assistência Religiosa/Sejus
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Inclusão Social, Justiça, Rondônia, Sociedade, Solidariedade


Compartilhe